Previne

Presidente e vice participam de visita guiada à Cas

Categoria: Notícias Criado: Terça, 18 Julho 2017 09:02

O presidente Carlos Alberto Graff e o vice Valdir Gomes Machado foram a Santa Catarina no dia 13 de julho participar de uma visita guiada à Cas Industrial, que fabrica e comercializa urnas. Na oportunidade, os dirigentes estiveram acompanhados de um grupo de diretores funerários de Porto Alegre formado por Gunter Kannenberg, da funerária São Pedro, Cristiano Arceno, da funerária São Miguel, e Emilson Cassol, do Previr Serviços Funerários. Na visita, a comitiva conheceu as instalações da empresa, bem como o processo de fabricação das urnas. “Essa interação com a indústria do setor é fundamental, até mesmo pela parceria comercial que mantém com as funerárias. Logo, é uma atribuição de nós, dirigentes sindicais, atestar a qualidade do processo de confecção dos produtos, bem como a infraestrutura empregada para atender a demanda do mercado”, afirmou Graff. A recepção aos visitantes ficou a cargo do diretor Carlos Alberto de Souza e de sua esposa, Roselene, que chefia o setor de Operações e Controle de Qualidade.

Durante a visita guiada, o grupo passou pelos setores de Secagem, Usinagem, Pré-corte e Corte, Montagem, Lixa, Pintura e de Forração, Embalagem e Expedição. Os visitantes também conheceram a unidade de fabricação de painéis de madeira para exportação, outra vertente de negócio da Cas para atender países como Espanha, Canadá, Estados Unidos e Bolívia. Na produção de urnas, a empresa exporta para países como Angola e Uruguai. De acordo com Souza, a maior fatia de mercado da Cas no mercado interno está na Região Sul, onde alcança 20% no Rio Grande do Sul, 35% em Santa Catarina e 15% no Paraná. “Estamos almejando um crescimento de 20% para os próximos três anos”, vislumbrou. Segundo o diretor, um dos projetos da empresa “é a implantação de robôs de pintura até 2021”.

Para Souza, um das dificuldades enfrentadas na gestão do negócio é a alta rotatividade de colaboradores. “Estamos tentando minimizar isso com a contratação de um plano de saúde e por meio de treinamentos motivacionais”, revelou. O empresário também aponta a alta carga tributária, a concorrência desleal e a recessão como outras dificuldades a serem superadas. Para transpor essas barreiras, “estamos buscando automatizar a indústria, além de reduzir custos e combater o desperdício”, completou.

Com sede em Grão Pará, a Cas foi fundada em 1998 tendo como atividade principal a comercialização de artigos funerários. A partir de 2001 passou a fabricar urnas. Hoje a empresa conta com 120 colaboradores e 12 representantes comerciais. Na visita guiada, também estiveram presentes Flávio Damasceno e Yuri Claudy, da Cosmus Assessoria e Consultoria, que atende a Cas, e Jean Claudy, agente funerário da São Pedro.

0
0
0
s2smodern